Breaking News
Home » News » Teorias foristas: Kagerou Days

Teorias foristas: Kagerou Days

Fala galera!

Vamos para mais um resultado das teorias foristas! A música escolhida dessa vez foi Heat-Haze Days, de autoria do Jin(shizen no tekiP):


 
Para quem ainda não sabe, no fórum da VocaloidBrasil existe um tópico onde, semanalmente, uma música conhecida pelo fandom será escolhida e colocada em discussão para os membros, juntamente com uma tradução livre da letra. Os membros devem elaborar uma teoria sobre a letra, contando em detalhes o que sentiu, e qual teria sido a intenção do autor ao escrevê-la.

A melhor resposta de cada semana vira um post aqui com toda sua teoria, e no futuro integrará a área de teorias foristas do site! Portanto, acessem o fórum da VocaloidBrasil, cadastrem-se e participem!

Clique no MORE para conhecer o vencedor da semana e sua teoria!


 
Autor: Shyne

“O Jin é dos meus produtores favoritos, e assim que vi este projeto lá no site, decidi voltar ao fórum e participar neste projeto bem interessante!
Esta música diz-me muita coisa ao mesmo tempo, desde a mais simples e superficial interpretação até á vista de uma metáfora profunda.
Vou então começar a analisar!
PS: Eu sou de Portugal, e posso usar alguma expressão que não seja compreendida aí no Brasil. Se usar, por favor, corrija-me para eu adaptar o post. :)

Kagerou Days/Heat-Haze Days/Heat Haze Deizu

Esta música faz parte do Kagerou Project do Jin, uma espécie de novel que vai ser agora lançada no Japão (estou certo, não?). Dela fazem parte outras músicas que se ligam entre si e entre as personagens.

Heat-Haze Days conta a história de um menino e de uma menina que estão presos, cada um deles, independentemente, numa espiral, num ciclo repetitivo durante o verão.
Melhor dizendo, este ciclo consiste num destino antecipado da morte de um dos dois participantes.
A música roda toda há volta especialmente do ponto de vista do menino, mas no final, muda para o ponto de vista da menina.
A espiral, na versão do menino, condena-o a sofrer pela perda da menina, que morre consecutivamente. Esta espiral é personificada pela névoa, e essa névoa de Verão só existe porque, na versão da menina, num mundo paralelo, é o rapaz que morre, e não ela.
Vou passar a explicar:

No dia quinze de agosto
Quase meio dia e meia
O tempo estava quente
Com a luz do sol me cegando
Tentei falar com você
Pois não havia mais nada para poder fazer

No dia quinze de Agosto foi quando começou este ciclo, tanto para o menino como para a menina. Começa o ponto de vista do menino aqui, dizendo que ele, por não ter mais nada que fazer, vai sair com a menina.

“Mas sabe, eu meio que odeio o verão”
Enquanto segurava um gato
Você corajosamente murmurou
Ah, enquanto perseguia o gato
Que fugia correndo
Você pulou bem no momento
Em que o sinal mudou para vermelho

A menina diz que odeia o verão, é uma espécie de premonição sobre o que vai acontecer nos momentos seguintes. O gato, que pode ser uma das personificações desta névoa, deste ciclo, foge á menina, e ela corre atrás dele. A frase “Em que o sinal mudou para vermelho” pode não ter um significado literal, provavelmente significa que, como é demonstrado a seguir, ela é atropelada e tudo mudou para a cor do seu sangue, vermelho. Esta é a primeira morte da menina.

Então um caminhão veio passando
Te atingiu e foi embora, enquanto eu gritava
O sangue espalhado, o seu cheiro misturado
Me fizeram engasgar
Em meio a tantas mentiras
“Não é mentira” disse rindo a névoa
O azul do verão, escureceu
E sumiu junto com o som dos grilos

Ela morre, deixando o rapaz chocado. É aí que a névoa intervém, dizendo mais uma mentira. A névoa diz “Não é mentira”, mas na verdade, tudo aquilo era só um ciclo falso, repetitivo, que tinha que ser quebrado. O dia não continua, acabando ali. “O azul do verão escureceu”, pode referir-se à vinda da noite, onde os grilos cantam mais.

Acordei na minha cama
Com o som do relógio
Que horas são agora?
No dia quatorze de agosto
Pouco depois da meia noite
Eu me lembrei do irritante barulho dos grilos

Tinham passado dois dias. Talvez o ciclo tenha saltado um dia, talvez o dia anterior, dia 13, simplesmente não tenha acontecido. Mas tudo se volta a repetir. Além disso, continuamos no ponto de vista do rapaz, é importante referir isso para que possam compreender a minha interpretação no final.

Mas sabe, é um pouco estranho
Eu me lembro de um sonho que tive
Nesse parque
“Que tal irmos para casa agora”
Assim que saímos do caminho
As pessoas ao redor olharam
E abriram suas bocas

O sonho que ele teve foi provavelmente o dia 13 de Agosto. Na música, os dias passam e são identificados numa linha de tempo corrente… Mas eu acho que para os dois, para o menino e para a menina, eles continuam no dia 12, mesmo que cada dia seja diferente no ciclo.
O menino tem uma premonição de que algo vai correr mal… Mas eles não podem fugir ao ciclo e a menina volta a morrer:

Um cano de metal caiu do céu
E perfurou você
O som de gritos e sinos ao vento
Ecoaram entre as árvores ao redor
E nessa cena estranha
“Não é um sonho” disse rindo a névoa
Olhei para você e minha visão escureceu
Achei que havia te visto rindo

Desta vez, a morte é causada por uma viga de metal que cai de um prédio em construção. As pessoas, admiradas, misturavam os gritos com o riso da névoa, que volta a mentir dizendo que “não é um sonho”, mas na verdade, na minha interpretação, é sim.
A noite volta a cair de repente, e começa uma nova parte da música.

Por muitas vezes essa névoa escureceu o mundo
Sua risada vêm se repetindo por décadas
Eu já percebi isso há muito tempo
Nesse tipo de história tão comum
Só pode existir um único final
E ele só pode ser encontrado
Além desse dia de verão repetido

O ciclo continua por várias décadas, e o menino acabou por se aperceber disso, mais cedo ou mais tarde. Ele sempre tenta salvar a menina, mas ela morre de maneiras diferentes, voltando a “escurecer o mundo”.
Quando é dito “só pode existir um único final” eu tenho uma pista para a minha interpretação: O menino e a menina vivem ciclos diferentes, mesmo que estejam conectados entre si, no entanto, só pode existir um único final. Acontece que, mesmo que um ciclo seja finalizado, o outro pode continuar, logo, eles têm que ser finalizados ao mesmo tempo para poderem parar definitivamente.

A empurrei para trás e pulei na sua frente
O caminhão passou por cima de mim
A cor do meu sangue
Estava em você e estava em você e nas pessoas
E no meu corpo distorcido
Então me virei para a névoa
“Você mereceu” eu disse rindo
Esse dia de verão foi até normal
Mas alguma coisa acabou dessa vez

Neste conjunto de versos o ciclo do menino acaba. Ele decide salvar a menina, empurrando-a para trás e morrendo no lugar dela. Mais uma vez o vermelho se volta a espalhar, e é ali que o menino se vira para a névoa e diz que ela mereceu. A névoa morre juntamente com o menino, já que ela era, na verdade, o seu reflexo.

Em sua cama
No dia quatorze de agosto
Uma menina acordou
“Eu não consegui novamente”
Ela disse segurando um gato

Agora que a névoa do ciclo do menino morreu, a história muda para o ponto de vista da menina. No ponto de vista dela, é o menino que morre, e a névoa é o reflexo da menina. Mesmo que o menino tenha terminado o ciclo, a menina ainda não conseguiu, e ele volta a repetir-se por décadas…
 

RESUMO:

No dia 14 de Agosto, um ciclo interminável chega á cidade onde o menino e a menina vive, esse ciclo é trazido por uma névoa de Verão, uma onda de calor estranha. (Não se sabe se o ciclo afeta mais pessoas na cidade, já que na música só mostra o ponto de vista dos dois personagens).
Este ciclo divide-se em dois, afetando o menino e a menina em separado.
O ciclo do menino, retratado durante quase toda a música, é a menina que morre sempre, devido á névoa que se personifica como um “alter-ego” do menino.
No ciclo da menina, só retratado no final, é o menino que morre, e a névoa nesta versão é um “alter-ego” da menina.
As versões são paralelas e independentes. No entanto, para que tudo termine bem, as duas têm que acabar.
A música gira há volta disso, gira há volta da luta do menino para quebrar o seu ciclo, enquanto que a menina também travava a mesma lutar para quebrar esse mesmo ciclo, mas sem sucesso aparente.
No final, o menino consegue quebrá-lo, mas a menina não, e assim não se sabe se a história continua ou não, ou se acaba ali, dando uma sequela para as músicas seguintes de Jin, como por exemplo, Konoha no Sekai Jijou.

RELAÇÃO COM OUTRAS MÚSICAS:

Headphone Actor: Talvez a cidade onde o menino e a menina vivem seja a mesma onde a rapariga de Headphone Actor vive. Nesta música, é dito ( e interpretado por mim), que a cidade é uma espécie de recinto de experiências. Quem sabe a névoa lançada sobre a cidade não seja mais uma das experiências nessa cidade, antes da experiência final, que é retratada em Headphone Actor? É bem provável…

Konoha no Sekai Jijou: Ainda não entendi bem sobre o que é esta música, mas sei que liga todas as músicas que vão fazer parte desta saga do Jin, o Kagerou Project. Mas a canção conecta claramente Headphone Actor com Kagerou Days, e é a partir daqui que eu digo que a cidade onde as músicas se passam é a mesma. O jovem retratado em Konoha no Sekai Jijou, chamado Konoha, acredito eu, é provavelmente um dos cientistas que participa na execução das experiências, ou então é provavelmente um “boneco de experiências”, uma máquina que é usada nos estudos. No entanto, é visto que ele tenta chegar ao menino e á menina de Kagerou Days para quebrar o ciclo, já que ele os quer salvar do fim do mundo que é demonstrado em Headphone Actor.
A música usa expressões como “Coração Manufacturado”, ou seja, talvez as pessoas que vivam lá são todos bonecos de experiências como ele, mas só ele se aperceba disso e tente salvar os outros.

INTERPRETAÇÃO ALTERNATIVA/METÁFORA:

Tal como o título alternativo diz (Mayfly Days), podemos ser todos libélulas neste mundo.
A nossa vida, mesmo parecendo tão grande, e tão longa, acaba por ser pequena, e talvez nós só vivamos um dia como as libélulas, mas tenhamos a ideia que vivemos várias décadas, como é demonstrado na música.
Jin mostrou duas crianças/adolescentes na sua canção, pois é a idade onde o tempo parece passar mais rápido.

Espero que tenham gostado da minha interpretação e que vos tenha ajudado a compreender melhor a música! :D”
 

Eu realmente gostaria de ler a novel para entender melhor a correlação entre as músicas do Jin. Temas como esse, que envolvem um tanto de mistério e filosofia, chamam muito a atenção!

E a música escolhida para a próxima semana será:

Mostrar Música »

Senbonzakura (A Thousand Cherry Blossoms) – kurousaP, feat. Hatsune Miku


Por que essa música é tão popular? Qual é o contexto, de modo mais claro?

 
É isso pessoal! Visitem o fórum e participem!

About ---

Veja também

summer

Novos modules para Project DIVA Arcade

Como parte da atualização de Julho, o Project DIVA Arcade recebeu novos modules no final ...

  • J.C

    Deu trabalho escolher –'
    Todos os participantes estão de parabéns!

  • Kyle

    Prevejo o Wolf participando.

  • Shyne

    Todas as outras teorias estavam muito bem elaboradas também, parabéns a todos os participantes, não é propriamente fácil explorar tanto a mensagem de uma música tão complexa como Kagerou Days. ^^

  • J-sama

    Senbonzakura o/

  • Jari

    hum…eu acho que talvez na parte:
    ''Olhei para você e minha visão escureceu
    Achei que havia te visto rindo''
    ela sorriu porque talvez tenha ''salvado''o garoto,talvez era para aquela barra acertar ele,mas é provável que eu esteja enganada,porque se fosse isso o ciclo dela teria terminado primeiro
    ótima interpretação

  • Pingback: Depois de Black Rock Shooter, Kagerou Days terá anime | ChuNan! – Chuva de Nanquim()

  • Biel

    muito bom *—-* , gostei quando vi 15 de agosto *meu anivesàrio*

  • Leidiane

    mais quando Haverá este projeto ?:

  • Ágatha Dash Hatsune Miku

    Depois de ler isso, minhas dúvidas meio que diminuíram